Vós os que não credes em bruxas, nem em almas penadas, nem em tropelias de Satanás, assentai-vos aqui ao lar, bem juntos ao pé de mim, e contar-vos-ei a história de D. Diogo Lopes, senhor de Biscaia.

E não me digam no fim: – “não pode ser.” – Pois eu sei cá inventar coisas destas? Se a conto, é porque a li num livro muito velho.

(apenas o início do romance de

"Silêncio profundíssimo; porque vou principiar".

“Silêncio profundíssimo; porque vou principiar”.

 um jogral muito antigo)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *